Páginas

28 de ago de 2015

Olá genteeeeee!
Estou de volta e hoje resolvi passar para vocês uma rotina de cuidados com os cachinhos haha <3

O cronograma capilar , então o nosso cabelo precisa de uma rotina de cuidados para manter-lós lindos e saudáveis .







Meninas, o cronograma capilar é bom que seja seguido , mais nem sempre temos tempo né?
 Eu mesmo, não sigo tão certinho não porque tem a rotina que atrapalha um pouco então, nos dias que não puder seguir ,tenta compensar no dia que estiver tempo disponível  .
Meu cabelo é bem seco , por isso faço muita nutrição e hidratação ,podem abusar dos óleos na nutrição mais nada de exagero tá?





Espero que tenham gostado e tentem seguir a rotina de cuidados, lembrando que serve para todos os tipos de cabelos! Beijoooos  <3 





22 de ago de 2015

Os filmes mais esperados de 2016

 Se 2015 está sendo um bom ano pro cinema, com certeza, 2016 será ainda mais! O ano promete estreias maravilhosas que, sinceramente, estão me deixando super ansiosa. Cada novidade que vejo só alimenta ainda mais essa vontade de ver tudo e (egoísta que sou) tinha que compartilhar isso com vocês, deixá-los tão sedentos pelas estreias de 2016, quanto eu. 
Ah, e só pra deixar claro, esses são os filmes mais esperados POR MIM e não numa perspectiva geral.


  
Filme: Deadpool | Lançamento: Fevereiro de 2016 | Gênero: ação, comédia e fantasia | Direção: Tim Miller
Sinopse: Ex-militar e mercenário, Wade Wilson (Ryan Reynolds) é diagnosticado com câncer em estado terminal, porém encontra uma possibilidade de cura em uma sinistra experiência científica. Recuperado, com poderes e um incomum senso de humor, ele torna-se Deadpool e busca vingança contra o homem que destruiu sua vida.



  
Filme: Capitão América - Guerra civil | Lançamento: Maio de 2016 | Gênero: ação e fantasia | Direção: Anthony Russo, Joe Russo
Sinopse: Steve Rogers é o atual líder dos Vingadores, super-grupo de heróis formado por Viúva Negra, Feiticeira Escarlate, Visão, Falcão e Máquina de Combate. O ataque de Ultron fez com que os políticos buscassem algum meio de controlar os super-heróis, já que seus atos afetam toda a humanidade. Tal decisão coloca o Capitão América em rota de colisão com Tony Stark, o Homem de Ferro.

  
Filme: Esquadrão Suicida | Lançamento: Agosto de 2016 | Gênero: ação, aventura e fantasia | Direção: David Ayer
SinopseA Arlequina, Capitão Bumerangue, Pistoleiro, Crocodilo, Magia, Amarra e outros vilões, estão no Asilo Arkham por cometerem crimes hediondos no passado, mas tem uma chance de se redimirem quando uma líder de uma grande corporação secreta chamada A.R.G.U.S., os convoca para fazerem coisas boas em troca de penas mais curtas, Contando com a ajuda do psicopata assassino Coringa.



  
Filme: Batman vs Superman - A origem da justiça | Lançamento: Março de 2016 | Gênero: ação e aventura | DireçãoZack Snyder
SinopseApós os eventos de O Homem de Aço, Superman divide a opinião da população mundial. Enquanto muitos contam com ele como herói e principal salvador, vários outros não concordam com sua permanência no planeta. Bruce Wayne está do lado dos inimigos de Clark Kent e decide usar sua força de Batman para enfrentá-lo. Enquanto os dois brigam, porém, uma nova ameaça ganha força.



Filme: Doutor Estranho | Lançamento: novembro de 2016 | Gênero: ação e aventura | DireçãoScott Derrickson
Sinopse: Um cirurgião desfigurado ganha uma nova chance em sua vida quando um feiticeiro o treina para se tornar o Mago Supremo.

 
Filme: Procurando Dory | Lançamento: junho de 2016 | Gênero: comédia e animação | DireçãoAndrew Stanton e Angus MacLane
Sinopse: Um ano após ajudar Marlin a reencontrar seu filho Nemo, Dory precisa agora lidar com vários peixes do seu passado, entre eles alguns pelos quais ela foi apaixonada.

Filme: Animais fantásticos e onde habitam | Lançamento: Novembro de 2016 | Gênero: fantasia e aventura| DireçãoDavid Yates
SinopseBaseado no livro "Animais Fantásticos e Onde Habitam", do universo Harry Potter, o filme irá apresentar as aventuras do escritor fictício Newt Scamander.


Os filmes que estão faltando algo como trailer, uma sinopse completa ou o poster é por que eu não encontrei ou não saiu ainda.
São esses os filmes que eu mais espero em 2016. E você? Quais são os filmes mais esperados por você? Aceito indicações!

17 de ago de 2015

Ame-se para amar

250201_orig1859450_orig1330327_orig
As pessoas são discriminadas e oprimidas desde sempre, em especial, as mulheres que sofrem seja pela cor da pele, pelo corpo ou pelo cabelo. A sociedade nunca está satisfeita com nada nem ninguém, as pessoas preferem enxergar problemas na vida de outros enquanto ignoram as próprias vidas, afinal, como dizem: macaco não olha pro rabo.

No mundo não existe feio ou bonito, certo ou errado, bem ou mal. Desde pequenos somos ensinados a aprender que as coisas são assim, mas não são. Afinal, se desdo berço lhe fosse dito que feio é bonito você já não acharia feio, acharia? E por que você olha para a modelo da revista que é magra e alta e a chama de bonita, de gostosa, quando sua colega que, por acaso, também é alta e magra, você chama de tábua? Essa mesma pessoa ainda irá criticar o gordo quando acabou de insultar o magro. Garotas são estupradas e a culpa é do tamanho da roupa que ela usa? Então o que dizer das CRIANÇAS e BEBÊS que também são estuprados? HIPOCRISIA.


Todas as mulheres sofrem com a opressão da sociedade por vergonha de seu peso, de seu cabelo, pelo tamanho do sutiã, pela cor da pele e pelas linhas que passam por ela. Não é atoa que tantas mulheres andam se unindo contra essa opressão, o que está dando cada vez mais certo, mas ainda há muito trabalho pela frente. Não tenha medo de ser quem você é. Experimente, expresse-se, mude, inove, crie, viva. Seja você sua própria heroína. E como diz Gabriel, O Pensador "Seja você mesmo, mas não seja sempre o mesmo".


Eu nunca fui muito magra ou muito gorda, mas isso não significa que não tenha sentido vergonha do meu corpo por causa da sociedade. Estrias surgiram cedo e eu passei a da preferência a calça do que o short, na praia eu tinha vergonha do biquine e achava que todos me olhariam e julgariam. Mas, felizmente, com apoio da família e também de vários relatos na internet de mulheres que sentiam vergonha de seu corpo, passei a não ligar para isso aos poucos. Hoje, faço questão de ir a praia e não há lugar que eu goste mais.

O foco desse texto é o corpo feminino mas as mulheres são oprimidas de várias outras formas, consideras frágeis, incapazes, dependentes. Não somos assim e provamos isso cada vez mais. Me rotule como feminista ou o que seja, só procuro por IGUALDADE e não superioridade. Junte-se a causa você também.
image

15 de ago de 2015

Transição: Voltando aos cachos

 Então gente , aqui é Cláudia Emilene sou iniciante em blog uma doidinha por caracóis (cachinhos kkk). Bom, eu e a minha amiga Ana Carolina criamos este blog juntas haha!

 Vamos lá, nada melhor que iniciar falando da transição capilar, que é o período que deixamos de realizar químicas no cabelo deixando a raiz natural crescer sendo ela crespa ou cacheada afinal, não existe essa de cabelo duro, nosso cabelo é afro, é identidade, força, beleza e muito amor, então vamos deixar esse preconceito de lado . É difícil passar pela transição? É , mas basta ter aceitação e determinação, estou no finalzinho dela, vou contar um pouquinho da história do meu cabelo para vocês.



 Então, eu comecei com essa loucura de cabelo liso ser o padrão da sociedade e achava que o meu era feio, aquele cabelo enrolado, cheio, odiava muitoooo meu volume, tinha vergonha, tanto que só vivia preso cheio de creme, ficava tão feio mais eu me achava linda com o cabelo todo lambido kkk, vou postar as fotos também, passei um bom tempo assim, até que aos 12 anos resolvi alisar o cabelo com amônia, iludida eu achando e ouvindo as pessoas dizerem que iria ficar lindo e que os cachos iriam ficar mais soltos, então alisava de 6 em 6 meses, alisei duas vezes, na primeira vez perdi totalmente meus cachos até que a raiz começou a crescer e eu não gostava e alisei novamente, até que após o segundo alisamento não quis mais conta com química porque eu estava totalmente dependente da chapinha e eu não queria aquilo nunca, já que é horrível e a intensão era outra, fiquei louca porque meu cabelo tava muito feio , aí dei bigudinho ,a partir daí fiquei totalmente ARREPENDIDA por todo alisamento que dei , quando tava me dando conta de que estraguei meu cabelo que era lindo e eu não sabia, então agora serei breve, porque estou escrevendo muito e vai ficar cansativo de ler kkk, após o bigudinho e buscando informações no youtube encontrei várias youtubers e blogueiras que me deram incentivo e inspiração através dos seus vídeos, então me divorciei do alisamento e chapinha e decidi entrar na transição e confesso que foi a melhor coisa que fiz , viver livre com cabelo natural é a melhor coisa e hoje tenho 1 ano e 4 meses de transição. Foi difícil desfaçar a raiz inchada e aturar as piadinhas de mal gosto, mas vale apena, e a melhor coisa é a vitamina T tesouraaa, se livrar da parte alisada por falta de coragem de fazer BC (grande corte, retirar toda parte alisada do cabelo) fui cortando aos poucos.


Espero que tenham gostado e inspirem-se , não tenham medo nem pena de cortar , cabelo cresceee <3 !

13 de ago de 2015

Resenha: Os 13 porquês

  E aí galera?
  Aqui é a Ana Carolina Marinho, uma baiana metida a intelectual que é blogueira desde 2013. O outro blog que eu tinha, conhecido como Diário Noturno, foi excluído pois eu já não tinha tempo para escrever. Então, após meses de saudades do blog, eu me juntei com uma amiga chamada Cláudia Emilene para criar esse novo blog que terá, também, um canal no YouTube!! Juntas, falaremos sobre livros, moda, beleza, séries, games, maquiagem, cabelo e muito mais.
Para começar, trago uma resenha minha do livro Os 13 porquês. Tenho certeza que quem leu gostou muito e quem ainda não leu vai querer após essa resenha. 

Livro: Os 13 porquês | Escritor: Jay Asher | Editora: Ática | AvaliaçãoEstrelasEstrelasEstrelas Estrelas4 estrelas

 Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker - uma colega de classe e antiga paquera -, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

 "Ao me conscientizar de que ninguém sabia a verdade a respeito da minha vida, meus pensamentos sobre o mundo ficaram abalados. Como se estivesse dirigindo por uma estrada acidentada e perdendo o controle do volante, sendo jogada - só um pouquinho - para fora da pista. As rodas levantam poeira, mas você consegue puxar o carro de volta. Mesmo assim, não importa que esteja segurando bem firme no volante, não importa o quanto esteja se esforçando para tentar guiar em linha reta, algo fica empurrando você para o lado. Você já não tem quase mais nenhum controle sobre nada. E, a certa altura, a luta se torna excessiva - cansativa demais - e você considera a possibilidade de largar tudo. De deixar acontecer uma tragédia… ou seja lá o que for."

 Quando Clay Jensen recebe um pacote de fitas nem imagina que sua vida estaria preste a virar de cabeça pra baixo. Hannah Baker havia se suicidado a pouco tempo e gravado algumas fitas com os treze fatores que levaram ela a esse ponto, deixando as fitas passar pelas mãos de cada uma das treze pessoas que contribuíram com isso.

 Clay, que antes fora apaixonado por Hannah, nem imagina como poderia ter influenciado nessa decisão tão assustadora e terrível que é o suicídio. Então, começa a escutar as fitas de imediato tentando achar sua história. Enquanto essa não chega, ele vai escutando todas as que vieram antes e descobrindo como as coisas podem aparentar algo quando na verdade é totalmente diferente.

 "Acho que essa é a questão central. Ninguém sabe ao certo quanto impacto tem na vida dos outros. Muitas vezes não temos noção. Mas forçamos a barra do mesmo jeito." Tudo começa com uma fofoca mal contada que gera um efeito bola de neve, criando para Hannah Baker uma reputação que não condiz com sua verdadeira personalidade. Mas quem vai acreditar nela quando tudo aponta o contrário? Até mesmo Clay tinha receio de se aproximar de Hannah por causa de sua reputação.

 Hannah, a princípio, não tinha a intenção de tirar a própria vida. Queria viver, queria ficar bem, sem todo aquele fardo. Mas quanto mais tentava se livrar, mais pesado ia ficando. Ela passa a dar sinais de que algo não está bem só que ninguém percebe e deixa passar. Até que Hannah deixa que todo aquele fardo se acumule sobre ela e a arraste para o chão, até não conseguir mais se levantar novamente.

 "Porque, quando você faz pose sabe que tem alguém observando. Você põe no rosto o melhor sorriso. Você faz brilhar o lado mais bacana da sua personalidade."
 
 “- Preciso que a coisa pare. - O que precisa parar? - Preciso que tudo pare. As pessoas. A vida.”

 Jay Asher me surpreendeu bastante com Os 13 porquês. Nem conhecia o livro quando uma amiga me ofereceu, como sou grata a ela e ao autor por poder desfrutar dessa trágica e ao mesmo tempo maravilhosa história.

 O período de Hannah no ensino médio, que é quando tudo começa, faz lembrar vários outros jovens que realmente passaram por isso. Tantos que são mal compreendidos, que precisam de um ombro amigo, de atenção mas ninguém nota.

 O livro me prendeu do início ao fim, sem muita enrolação, com uma boa dinâmica e um toque de suspense ótimo. Jay Asher é o mesmo autor de O futuro de nós dois, livro que já estou querendo ler, creio eu que deva ser tão bom quanto esse. 

"Eu quis ligar pra alguém. Contar o que tinha acontecido, e que doía. Mas não havia ninguém ali. Ninguém com que eu pudesse contar. Ninguém disposto a abrir mão do sono para ouvir minhas queixas. Ninguém que se importasse. Então eu virei pro lado e a dor veio. Rápida. Forte. Devastadora. Senti minha alma se rasgando ao lembrar daquelas palavras. E dói. Ainda dói.”


Home
Layout criado por;